Fazia um mês que eles estavam juntos, se conheceram na faculdade, eram da mesma turma, mas ele tinha entrado no quinto período, transferido de outra faculdade. Adriana tinha um namoro de 2 anos, que terminou uns meses depois de conhecer Ricardo, foi um choque pro namorado e pras famílias, todos pensavam que eles iam acabar se casando, o cara era de família rica, bem educado e totalmente apaixonado por ela, mas depois dela conhecer e conviver com Ricardo diariamente, não conseguia deixar de compará-lo com Marcos, sua personalidade forte, sua segurança e sua beleza masculina a atraíam tanto que ela se pegava às vezes fantasiando diálogos e situações as mais inusitadas com ele, ele tinha alguma coisa que ela não conseguia definir muito bem, uma autoridade no falar, no olhar, no segurar seu braço ou sua cintura firmemente, sem deixar de ser gentil. Um equilíbrio perfeito, era o que ela pensava.

Ricardo, por sua vez, achava Adriana linda, de uma beleza delicada, um corpo perfeito, gestos femininos, ele adorava seu jeito alegre e seu bom humor, mas não apreciava nada, nada, sua irresponsabilidade e seu gênio difícil. "Ela às vezes lembra uma gata brava", pensava.

Dri era viciada em Internet, a ponto de passar a madrugada toda em chats e perder as primeiras aulas na faculdade, quase que diariamente. Por causa disso estava em prova final em 3 matérias, justamente as que tinham aulas nos primeiros horários. Ricardo era do tipo estudioso, sempre passava direto em todas as matérias e tinha a fala sempre mansa, não era de perder a calma por pouca coisa.

Com as provas finais se aproximando e Adriana cada vez mais desesperada, com um mundo de matérias pra rever, ele resolveu ajudá-la e os dois foram estudar na casa dela.

Os dois estavam sozinhos em casa, a empregada estava de férias e os pais de Adriana trabalhavam. Estavam na mesa da sala, ele explicando um problema de Cálculo e ela quase dormindo sentada... só durante a explicação, ele pôde contar 10 bocejos e aquilo foi lhe tirando a paciência, porque ele sabia bem qual era a causa de todo aquele sono...

_ Esses chats ainda vão fazer você perder esse período. Você acha que vale a pena se prejudicar nos estudos por causa disso?

Ele disse com as sobrancelhas franzidas e a voz mais grave do que de costume, sinal que estava chateado, o que estranhamente a deixava inquieta, ela não sabia explicar porque, várias vezes ela tinha se sentido assim, às vezes era o tom de voz, às vezes o olhar, que parecia o de um tigre prestes a pegar a presa.

Ela ficou meio atordoada e disse a primeira coisa que lhe veio à mente, como se estivesse pensando alto:

"Eu sei, mas não consigo parar, tô viciada."

Mas logo se arrependeu de ter sido tão sincera e ficou irritada, afinal, o que ele tinha com isso? O sangue subiu à cabeça e ela disse gritando:

"Olha aqui, você não tem nada com isso, meta-se com a sua própria vida!"

Ele respirou fundo demoradamente, fechando os olhos, como se estivesse contando até dez e disse enquanto se levantava e pegava suas coisas, se encaminhando para a porta:

_Ok, é isso mesmo que vou fazer!

Ela logo viu que tinha se excedido, como sempre, aliás... Mas a reação dele a pegou desprevenida, talvez estivesse mal-acostumada, porque Marcos, o ex-namorado, tinha uma paciência de Jó com seus ataques e mesmo assim, quanto mais paciente ele era, mais ela o desprezava.

_ Onde você vai? Desculpa, fui grosseira com você, você tem razão, esse vício em Internet está me prejudicando mesmo, é uma idiotice minha, às vezes tenho raiva de mim mesma, como sou burra!

_Você não é nada burra, pelo contrário, você é muito inteligente, é linda, é sensível, tem tudo para fazer uma excelente carreira e tudo pra ser feliz, mas não tem um pingo de disciplina e auto-controle e isso pode arruinar sua vida e não só a profissional, a pessoal também.

Seus olhos se encheram de lágrimas, ele estava 100 % certo.

_ E tem mais... eu não te dou o direito de gritar comigo, alguma vez eu gritei contigo?

_ Nunca. _Ela reconheceu, meio decepcionada, depois de tentar lembrar algum episódio em que ele tivesse perdido o controle.

_ Pois é... sou suficientemente maduro pra resolver as coisas como adulto, mas você parece uma menininha malcriada toda vez que é confrontada. Pra mim, chega, tô cansado disso, gosto muito de você, me sinto super bem ao seu lado, mas não vou tolerar mais isso. Acho melhor a gente parar por aqui...

Toiiiiiiiiiiim... caiu a ficha... isso não... ela não podia deixá-lo escapar desse jeito...

_ Desculpa, Rick, eu não tive intenção, não vou mais gritar contigo, você está coberto de razão, eu estou me auto-sabotando, mesmo, podia estar dando o melhor de mim, mas simplesmente não consigo e eu me odeio por isso... acabei descontando em você. Poxa, você já até passou nessa matéria, está aqui me ajudando e eu de grosseria contigo, me perdoa? Eu te amo... _ ela falava e as lágrimas corriam... _ você me perdoa?

Por dentro ela estava em pânico, sempre tinha que estragar tudo, era assim com amigos, namorados, seus pais, ela simplesmente não conseguia ficar com a boca fechada ou admitir que a criticassem. Se ele fosse mesmo embora... Nunca na vida ela tinha encontrado uma pessoa que a completasse como ele, ele lhe dava segurança e parecia adivinhar seus pensamentos e desejos mais secretos ... era perfeito, simplesmente perfeito... até aquelas palmadas... ai, como a deixavam doida... como ele podia adivinhar que ela era fascinada por esta idéia? De vez em quando eles estavam se abraçando e ele lhe dava umas palmadinhas no traseiro e se ela estivesse implicando com ele ou lhe fazendo ciúmes, elas até ardiam um pouco: "_ai, que delícia...", ela pensava, mas não querendo parecer maluca ou tarada ela colocava a mão na frente e pedia pra ele parar, afinal, ela achava que gostar de apanhar é o fim para uma mulher liberada, em pleno terceiro milênio. Por mais que Nelson Rodrigues pudesse estar certo, ela negaria sua fantasia até a morte.

_ Perdoar, eu perdôo, mas precisamos acertar umas coisinhas...

_Que coisinhas?

Conhecendo o caminho para o quarto dela, ele a pegou pela mão e se dirigiu pra lá. Num relance, saiu procurando pelo que tinha em mente... viu o ar condicionado, o som, a cama, que estava desfeita e com um monte de roupas jogadas em cima, "que zona!", pensou. Fechou a porta, a janela e as cortinas, ligou o ar, ligou o som, sentou na cama dela e a colocou sentada no seu colo.

Ela não estava entendendo absolutamente nada, só observava de boca aberta toda aquela preparação: Será que ele estava com calor? Mas estava tão fresquinho... Pra que o ar? Pra que fechar cortina, fechar porta? Ligar o som? Ela começava a se inquietar por dentro, com vontade de sair correndo, mas continuou sentada no colo dele, esperando entender o que era aquilo tudo.

_Você reconhece que se comportou como uma criancinha mimada hoje? _ ele disse, enquanto fazia carinho no seu cabelo, a voz quase um sussurro.

"Ai que vergonha, meu Deus, mas tenho que falar, senão ele vai embora..."

_Reconheço, Rick, eu tava nervosa e descontei em você.

_Não foi isso que eu perguntei... _ disse, franzindo as sobrancelhas...

_Tá bem! _ Ela suspirou. Como era difícil admitir isso! _ Eu reconheço, eu fui imatura e infantil.

_E você reconhece que tem sido imatura e infantil não só hoje, mas há bastante tempo e que isso tem te prejudicado em tudo? Na faculdade, nas amizades, nos relacionamentos?

Seus olhos se encheram de lágrimas.

_Reconheço mas não consigo parar, não sei o que fazer, às vezes até começo uma coisa, mas não tenho disciplina para terminar... parei o balé por causa disso, e eu adorava dançar...

_ Shhhhhhhhhhhhh, não chore.... _ ele a consolou _ Sabia que eu te amo? Que você é muito importante pra mim? Que você me faz feliz? _ Disse enquanto beijava o seu pescoço.

Ela balançou a cabeça, afirmativamente

_ Por isso estou disposto a te ajudar.

_ Como?

_ O que acontece com as meninas malcriadas e irresponsáveis? Como os pais fazem para desestimular maus hábitos? _ Disse naquela voz de quem não está pra brincadeiras...

Seu traseiro começou a formigar... "será que ele estaria falando DISSO que ela estava imaginando???"

_ Eu não sei, Rick, isso depende... meus pais às vezes me punham de castigo...

_ Mas outros pais... _ completou ele.

_ Bem, pais mais atrasados e reacionários batem nos filhos...

_ Pois não penso como você, às vezes umas boas palmadas fazem um bem imenso... e na minha opinião é disso mesmo que você está precisando ...

Ela ficou gelada dos pés à cabeça... "não pode ser, isso não está acontecendo", um misto de terror e excitação tomou conta dela...

_E é assim que vou te ajudar a largar esses maus hábitos.

Num piscar de olhos ele a levantou e a colocou de bruços no seu colo...

_Ricardo, o que você está fazendo, você não está pensando...

_ Shhhhhhhhhhhh, confie em mim, Dri... não vou dizer que não vai doer, mas vai te fazer um bem danado... _ disse com a mão sobre seus shorts, massageando seu traseiro, em movimentos circulares.

_Ricardo, me solta, olha, vou fazer um escândalo, vou na polícia, vou gritar, meu pai te põe na cadeia... _ ela gritou, socando as pernas dele, mas por dentro estava morrendo de excitação, o coração aos pulos, aquilo era um sonho, sua fantasia estava sendo realizada e de verdade, não era um teatrinho!

_Shhhhhhhhhhhhhhhhh, quietinha! Quem foi que acabou de pedir desculpas por gritar comigo? Você pode ir na polícia mas antes disso tenho um trabalho a fazer, vou te dar uma lição de responsabilidade e boas maneiras...

Smack, Ele mandou uma palmada firme do lado direito do traseiro dela ... Smack, outra do lado esquerdo.

_Aiiiiiii! _ ela gritou _ "caramba, que mão pesada", ela pensou, "mas até que dá pra agüentar, não é tão ruim assim...até que vai ser divertido brincar um pouquinho como nas minhas fantasias..."

_ Quem acaba de pedir desculpas por gritar comigo e já começou a gritar de novo???

Smack Smack

Silêncio

Smack, Smack, Smack, Smack...

_ "ele sempre alterna as palmadas... como é bom..."... ela pensou...

_ Estou esperando...

Smack, Smack, Smack, Smack...

_ Temos a tarde toda livre...

Ela tentou se soltar, mas ele a estava segurando pela cintura e ela não tinha nenhuma chance de enfrentá-lo fisicamente... Percebendo que não podia se dar ao luxo de continuar fazendo jogo duro e sentindo o traseiro começar a arder de verdade, ela disse na voz mais calma que conseguiu emitir..

_Fui eu, fui eu que te pedi desculpas agora a pouco....

Smack, Smack, novamente ele atacou, uma palmada de cada lado.

_Vamos então começar a nossa conversinha, ok?

Smack, Smack

_ Não ouvi uma resposta educada...

_Ok, ok...

"Mas eles já tinham começado a conversinha umas 10 palmadas atrás, ou não?" ela pensou.

_Muito bem, boa menina... eu pergunto e você responde... Sem gritar, falando com educação... A que horas você tem ido dormir toda noite?

_ às 3, mais ou menos...

Smack, Smack, um par de palmadas bem ardidas.

_ Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

_E isso é hora de dormir, quando se tem que estar às 7:15 na faculdade?

Silêncio

Smack, Smack

_ Quanta rebeldia...

_ Nãooooooooo... pára, pára que tá doendo...

_ Mas essa é a idéia, é pra doer mesmo e nós ainda nem começamos, minha gata brava... Vamos definir um horário pra você dormir ok?

"Como assim, nem começamos???" ela pensou...

Smack, Smack

_ Ok, ok, ok...

Tudo que ela conseguia pensar era na incrível excitação que estava sentindo e também em como ele podia bater tão forte... De repente ela se arrependeu de não ter posto uma calça jeans, aquele short de algodão não protegia muito daquelas palmadas ...

_ Que tal meia noite? E estou sendo legal contigo, o certo seria marcar 8 da noite, que é hora de criança dormir!

Smack Smack

"Meia-noite? ... mas era a hora em que a tarifa começava a ficar mais barata..." ela pensou.

Smack, Smack

_ Tá bom, tá bom.... Meia-noite, eu prometo... por favor, agora me solta... _ ela choramingou.

_ Muito bem... gosto de ver você falando assim... com educação... Vamos agora definir outra regrinha...

_ Nada _ Smack _ de gritar _ Smack _ com _ Smack _ as _Smack _ pessoas_ Smack _ principalmente Smack comigo Smack Smack Smack Smack entendeu Smack Smack?

_ Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... Entendi, entendi... me desculpe, me desculpe...

_ Se você gritar comigo de novo ou for dormir tarde em dias de semana o que vai acontecer?

Smack Smack

Silêncio...

"ele não pensa que vou deixá-lo fazer isso de novo"...

Smack Smack Smack Smack...

_Não ouvi uma resposta educada...

_ Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... Você vai me dar uma surra...

"Ai, socorro, não agüento mais... que dooooooooooooor" pensou, sem dar o braço a torcer.

_ Muito bem! Boa menina! Estamos fazendo progressos! Agora que já fizemos um aquecimento e definimos algumas regrinhas básicas, vamos começar sua punição pela sua falta de juízo e pela malcriação de hoje... onde já se viu? Cheia de matéria pra estudar e brincando na Internet? Tsc tsc tsc tsc... E quando confrontada com a verdade só faltou me xingar... vamos ver se consigo te ensinar alguma coisa hoje, já que Cálculo eu não consegui ensinar, é difícil aprender dormindo, né?

"O que????????? Aquecimento??????????", ela se deteve na palavra-chave de todo aquele bla bla bla. Não podia acreditar, por mais erótico que aquilo fosse, sua bunda estava pegando fogo...

_ Nãoooooooooooooooo, por favor, já entendi as regras, já pedi desculpas, me soltaaaaaaaaa... _ disse, quase chorando, os olhos cheios d'água.

_Querida, isso ainda não foi nada... quero que você sinta essa surra por uns 2 dias, pra se lembrar toda vez que sentar na frente do computador e que sentir vontade de gritar com alguém de novo... _ dizendo isso, ele começou a abaixar seu short, que era de elástico e sua calcinha...

_ Não, por favooooooooooooooor não tire meu short...

_ Shhhhhhhhhhh, quietinha! Punição é sempre sobre a bunda nua, sem proteção de roupas...

Ela ficou quieta, não querendo prolongar ainda mais aquela surra...

Ele admirou o seu trabalho... haviam dois círculos rosados... bem no meio daqueles 2 montinhos lindos... que perfeição e isso sem ver... imagina agora que ele podia contemplar seu alvo enquanto fazia o "serviço"... Ela era uma bailarina e tinha a bunda mais linda do mundo, toda durinha, redondinha e branquinha, quer dizer, rosinha naquele exato instante ... ele sabia que tinha que pegar leve, pois era a sua primeira vez, mas queria deixar claro que falava sério... Ele começou a massagear o traseiro dela e ela começou a gemer... ele tinha certeza que ela estava gostando apesar de todos aqueles protestos... Depois de aplacar um pouco a ardência na bundinha daquela menina malcriada, mas que estava se comportando tão bem, até melhor do que ele esperava, anunciou:

_Já que é a primeira vez que você está sendo punida, vou pegar leve ... serão só 30 palmadas. Pronta?

"Mais triiiiiiiiinta????????? Nãããããããããããããããããããããããão" ela pensou.

Smack, Smack...

_Não ouvi nenhuma resposta, acho que você tá querendo dificultar as coisas...

_ Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii - como doía! Sem a roupa, não havia comparação! Como ela desejava estar com o short agora.

_ Não, não, não quero dificultar nada. Estou pronta...

_ Muito bem, essas duas não contam... Vamos lá...

Ele começou a bater num ritmo de 4 palmadas ritmadas, esquerda em cima, esquerda em baixo, direita em cima, direita em baixo, pegando bem a parte inferior do traseiro, a que se usa pra sentar.

Smack, Smack, Smack, Smack...

_ 1, 2, 3, 4, ele contava.... 5, 6, 7, 8 ...

Ela se contorcia como uma enguia, mas ficou na posição até a 20ª palmada, quando disse...

_ Não, chega, por favor! _ e cobriu o traseiro com a mão direita. _ "A temperatura aqui deve estar uns 100 graus" _ pensou.

Ele não perdeu o ritmo, simplesmente prendeu o pulso dela com a mão esquerda e continuou a bater... 21, 22, 23, 24... estamos quase lá... quero que esta última meia dúzia seja especial, dizendo isso ele caprichou, desferindo 6 fortíssimas palmadas naquele traseiro já totalmente vermelho... Ela nem tinha mais forças para resistir, só chorava e falava entre soluços:

_ Me desculpe... me desculpe... não faço mais... vou me comportar... vou dar o melhor de mim...

Ela chorou e chorou, colocando pra fora toda angústia que estava sentindo, fazia tempo que não chorava dessa maneira. De repente percebeu que ele tinha parado de bater e agora massageava seu traseiro com carinho, o calor atrás se irradiava para outra parte de sua anatomia... Enquanto massageava, ele dizia:

_ Shhhhhhhhhhh, já acabou, tá tudo bem agora, shhhhhhhhhh, eu te amo, eu te amo...

Quando viu que ela tinha se acalmado, ele a levantou e a sentou no seu colo. Ela estremeceu ao sentar mas se acomodou de lado, chorando de mansinho:

_ Me desculpe, me perdoe...

_Você já estava perdoada antes da surra, ela foi só pra te ajudar a se lembrar dessas regrinhas... você sabe quais são? - sussurrou.

_Sei sim _ ela estremeceu, só de pensar em começar a apanhar de novo... _ dormir à meia-noite e não gritar com as pessoas...

_Principalmente... _ completou ele.

_Contigo, meu amor, contigo...

_Viu, não te disse que uma surra ia te ajudar?

Dizendo isso ele começou a beijá-la e acariciá-la... Ela se sentiu derreter toda por dentro e eles fizeram amor apaixonadamente por horas e horas...Era a primeira vez que eles faziam amor e a segunda experiência dela, ela sentiu um prazer que nunca havia sentido naqueles 2 anos de namoro, uma nova dimensão de intimidade, totalmente sem barreiras ou pudores. Aquela sensação de ardência quando a bunda tocava o lençol a fazia se sentir totalmente louca. Era como se existisse outra Adriana dentro dela que acabava de se mostrar agora pela primeira vez.

A noite foi chegando, e eles foram tomar banho e se vestir porque logo os pais dela iriam chegar...

Depois do banho, ele sentou na borda da banheira e puxou ela de novo pro seu colo, de bruços.

_Ai, não, amorzinho, por favor! _ ela choramingou, ao mesmo tempo em que se ajeitava no colo dele, pronta pra mais palmadas, se ele assim decidisse.

_Shhhhhhhhhhh, é hora da recompensa... ele disse, enquanto aplicava um creminho naquela maravilhosa bunda e inspecionava o trabalho perfeito que tinha feito, estava toda vermelhinha, toda por igual...

_Você ainda pensa em ir à polícia? Tem que ir logo, enquanto há evidências do crime... _ disse, rindo.

"Nem morta", ela pensou, mas disse:

_ Não, eu merecia esta surra... mas você não vai mais me bater assim, né?

_Claro que não.

Ela suspirou entre aliviada e surpresa.

Ele apertou a bunda dela com as duas mãos fazendo ela dar um pulinho de dor.

_Ai!

_ Nunca mais te bato assim SE você se comportar... caso contrário, isso aqui vai ser fichinha perto da surra que vou te dar...

_ Ops _ela disse rindo _ acho que nunca mais fico até tarde na Internet e vou sempre passar direto em todas as matérias de agora em diante...

_E também vai ser a mais educada e controlada das garotas, pelo menos, enquanto estiver comigo... _ ele disse lhe dando duas palmadas bem firmes, uma em cada lado da bunda, só pra reavivar a ardência e reafirmar que falava sério.

_Aiiiiiiiiiiiiiii... Pode ter certeza... _ ela disse massageando o local dolorido, novamente em brasa, depois dessas duas palmadas...

_ E sempre podemos melhorar seu comportamento, como deixar o quarto em ordem, não tentar se proteger na hora da punição, hoje eu deixei passar, mas da próxima vez que você puser a mão na frente, eu recomeço a contagem. _ ele disse massageando o traseiro dela, apertando um pouco... tão quente... que delícia... mesmo depois do banho e do creme.

"Glup", ela pensou, "acho que não vou conseguir sentar nos próximos anos, acho que sou maluca, mesmo, nunca me senti tão feliz na vida", e sentando no colo dele, o abraçou e disse no seu ouvido: _Sim, meu amor, tudo que você decidir.
Retour à l'accueil

Calendrier

Septembre 2017
L M M J V S D
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30  
<< < > >>

Recherche

Catégories

 
Créer un blog sexy sur Erog la plateforme des blogs sexe - Contact - C.G.U. - Signaler un abus - Articles les plus commentés